Criatividade é uma palavra que ainda vem carregada de certo misticismo. Parece que músicos, escritores e publicitários nascem com este superpoder e você está a anos-luz de fazer algo genial. Não é assim.

Ninguém nasce um atleta, ou um grande matemático, por mais que tenha facilidade. O que vai moldá-lo é a prática, o aperfeiçoamento constante. E até algo subjetivo como a criatividade tem um processo de desenvolvimento.

As dicas a seguir poderão parecer óbvias. Por isso mesmo não costumam ser encaradas com seriedade. Mas não existe magia, nem tecnologia, que gere criatividade. Então se prepare, desafie-se. É hora de transformar seu cérebro em uma máquina de originalidade infinita, seguindo estes passos:

Chain and foot

1 – Esqueça o que te disseram sobre o que é certo e errado

Desde criança somos moldados a aceitar o mundo de uma maneira X ou Y. O colégio nos fala que a verdade é uma. A formação religiosa estimula a obediência cega. A mídia conta os fatos da maneira que lhe é mais interessante. Pare de aceitar tudo passivamente.

Calma! Não é para jogar no lixo sua ética e valores. A questão é que uma pessoa criativa, antes de tudo, consegue enxergar a realidade sob diferentes óticas. Não se cria nada para ninguém sem se colocar no lugar do outro. Não se escreve personagens sem se imaginar no lugar deles. Não se aprende nada sem uma mente aberta. Então largue seus preconceitos. Esqueça os limites que os outros lhe impuseram. Quebre suas barreiras mentais para que novos horizontes de ideias possam surgir.

2 – Adquira repertório

Absorva o mundo ao seu redor. Não só o que for relacionado ao seu trabalho, mas coisas diferentes. Veja documentários sobre outras culturas. Leia revistas, veja filmes, seriados, desenhos japoneses. Coma coisas diferentes, conheça pessoas de todos os tipos, jogue videogame. Faça cursos, aprenda novas habilidades. Literalmente, enriqueça seu cérebro e coração com novas experiências.

Uma pessoa criativa é alguém com forte imaginação e capacidade associativa. A matéria-prima disso são vivências e conhecimento. Então, em vez de tatuar carpe diem no pulso, faça algo de verdade, experimente a vida. Até fazendo coisas que não goste, que considera chatas. Tudo é alimento para a criatividade.

3 – Leia

Sim, isso poderia estar no tópico anterior, afinal, ler também é adquirir repertório. Mas o deixei à parte, pois o considero tão importante quanto todo o resto. E vou explicar o porquê.

Enquanto viver a vida nos dá elementos para associarmos e criamos novas coisas, a leitura nos dá isso e mais. Ela estimula a imaginação, a visualização mental de universos inteiros, de pessoas, cenas, diálogos. Quando lemos, nós somos os personagens, aprendizes de ensinamentos, estamos além do tempo e espaço, ao mesmo tempo observando e fazendo parte daquilo. E isso de uma maneira completamente interna.

A leitura é a atividade que mais necessita de imaginação. E assim acaba sendo a que mais a estimula. Sabe o que também exige muita imaginação? A criatividade.

criatividade

4 – Pratique todo dia

Se você é pintor, pinte. Nem que seja mentalmente. Se é webdesigner, crie ou continue um layout. Se você é um professor e busca maneiras inovadoras de ensinar os alunos, experimente.

E escreva. Talvez seja puxar um pouco para o meu lado (quem nunca?), mas a considero como a atividade mais relevante para o maior número de áreas possíveis. Escritores escrevem, empresários escrevem, publicitários de criação escrevem. Blogueiros, jornalistas, e quaisquer outros profissionais. Todos precisam botar algo no papel. Mesmo algo informativo, aparentemente sem a necessidade de um processo criativo complexo, terá o seu toque pessoal. Tudo exige algum nível de originalidade. E isso você constrói com a prática.

Escreva nem que seja apenas para registrar ideias. Elas são um tesouro mental frequentemente deixado de lado. Mesmo achando que não a usará tão cedo, anote-a para o futuro. Mantenha um arquivo. Não subestime seu inconsciente, nem a capacidade associativa que você vem desenvolvendo.

Mas seja lá o que você faça, faça todo dia. Junte ideias e emoções para criar coisas novas. Isso se tornará um hábito. Logo, você estará vendo soluções diferentes não apenas para a sua área de atuação, mas para tudo.

5 – Tenha qualidade de vida

A criatividade não funciona bem em uma mente suja. Não basta absorver um monte de informações, leituras e vivências. Nem a prática diária adiantará muito se você não der a si mesmo um tempo para processar isso.

Quem trabalha com criatividade já sabe. Muitas soluções de problemas vêm justamente naquela hora que você menos espera. No ápice de um momento de lazer ou relaxamento, no chuveiro ou até nos sonhos.

Então deixe o seu inconsciente trabalhar por você. Dedique-se a atividades que facilitem isso, como meditação, exercícios físicos, hobbies em geral. Alimentação adequada e uma boa noite de sono também ajudam. Manter o bom humor, mais ainda.

 

Por mais simples que pareçam essas dicas, elas são o ponto essencial para o desenvolvimento da criatividade. Talvez seja chato perceber que não há milagre ou solução mágica para isso. Ainda mais hoje, quando tudo está a um clique de distância.

Mas é muito gratificante perceber que, com algum esforço, podemos nos tornar pessoas melhores, mais inteligentes e originais. E, o melhor, é muito divertido.

Para ler mais sobre criatividade, fique ligado nos meus artigos sobre o tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *